Esoterismo e misticismo, duas espiritualidades diferentes e complementares.

Eu sei que alguns de vocês que lêem o blog estão interessados ​​neste esoterismo, então, de tempos em tempos, eu encorajo você a escrever meus pensamentos sobre este tópico. Outros estão com medo porque identificam o esoterismo com a adivinhação de letras e outros assuntos relacionados.

O primeiro, portanto, é esclarecer os mal-entendidos. O esoterismo nada tem a ver com o ocultismo, exceto que (o oculto) é sua degeneração, convertida em um produto de consumo mais do que a sociedade moderna. O esoterismo é uma espiritualidade muito presente nas sociedades tradicionais e que vem desaparecendo ou diminuindo muito na modernidade, representada pelas organizações de tipo iniciático que existiam nessas sociedades. Esotérico é Sufismo no Islã, Cabala no Judaísmo e Maçonaria no Cristianismo, para citar alguns exemplos.

Um servidor, como muitos outros, nos aproximamos da religião depois de nos tornarmos interessados ​​no esoterismo. Devo dizer que houve um estudo sério das correntes esotéricas, entendida como eu digo, figuras porém interessantes, como Jung, René Guénon, Mircea Eliade ou Henri Corbin no século XX.

A verdade é que cada um desses pensadores concorda em muitas coisas, em sua visão do que é o esoterismo, e eles também diferem em muitos outros. Para mim, quem me influenciou na minha juventude era René Guénon, podemos dizer que a leitura me fez descobrir que a espiritualidade era algo muito mais interessante e sábio do que eu pensava, a ponto de perceber que isso era meu caminho.

Next Entries Deficiência de ácidos graxos ômega-3